Polícia Civil prende três suspeitos da morte de comerciante

Polícia Civil prende três suspeitos da morte de comerciante

legenda: Uma mulher é apontada como a responsável pelos golpes de faca que tiraram a vida da vítima

Fonte da Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Itaporanga deu cumprimento hoje pela manhã, dia 05/11, a mandados de prisão temporária contra uma mulher e dois homens acusados da morte do comerciante Aparecido Domingos de Proença, então com 57 anos de idade, assassinado a golpes de faca em fevereiro do ano passado, em frente estabelecimento dele, próximo à Rodoviária do município. 

C. A. S. J., o marido dela J. P. J., e C. M. M., foram localizados em suas residências por policiais da Delegacia de Itaporanga e não reagiram à prisão.  Eles estão sendo interrogados sobre o caso e depois serão transferidos para a Unidade de Transição de Presos de Piraju, com exceção de C. A. S. J., que irá para uma Cadeia Feminina da região. 

De acordo com a investigação, C. A. S. J. foi quem matou Aparecido. O depoimento de uma testemunha chave e a análise das provas carreadas para o inquérito policial foram fundamentais para os policiais chegarem a essa conclusão. 
C. A. S. J. teria cometido o crime para vingar a morte de sua prima R. J. M. P., ex-mulher do comerciante, que perdeu a vida durante uma briga com a então atual companheira de Aparecido, C. C. A. Na ocasião, R. J. M. P. também foi atingida por golpes de faca.

Também segundo a Polícia Civil, J. P. J. e C. M. M. deram apoio para a homicida e tentaram ludibriar a investigação, fornecendo informações que tentaram incriminar um integrante da família sem qualquer envolvimento com o caso. A participação de ambos ainda será melhor esclarecida com o interrogatório.

A morte de R. J. M. P., teria gerado revolta entre familiares dela, direcionado principalmente contra Aparecido, que teria presenciado a briga entre ela e C. C. A. e nada feito para impedir a morte da ex-mulher.

O CRIME - O crime aconteceu em 14 de fevereiro de 2018, no centro de Itaporanga. Era 6h10 da manhã, Aparecido havia acabado de abrir seu estabelecimento comercial, quando foi atacado por um indivíduo que se aproximou dele com uma espécie de colcha cobrindo a cabeça e desferiu vários golpes de faca.

Imagens de câmeras de segurança do comércio da vítima e de prédios vizinhos flagraram o exato momento do assassinato. Mesmo ferido, Aparecido correu em direção à Rodoviária para se desvencilhar mas foi perseguido e agredido com novos golpes que o feriram gravemente. Ele chegou a ser socorrido pelo SAMU até o hospital, mas não resistiu.

Compartilhar:
Guardião
Veja Também