Pista da Avenida dos Flamboyant corre o risco de desabar

Pista da Avenida dos Flamboyant corre o risco de desabar

legenda: As constantes cheias do Ribeirão Lajeado estão provocando quedas de árvores plantadas ao longo da via pública

Fonte da Foto: A Comarca

Um problema de grandes proporções que vem ocorrendo no Bairro Colina Verde, ao que tudo indica, parece não ter prioridade entre as obras emergenciais da cidade. Afinal, conforme apurado pela reportagem do Jornal A Comarca junto a moradores do bairro, mais precisamente os residentes na Avenida dos Flamboyant, o problema vem se arrastando há anos e se algo não for feito de forma urgente, a cada dia que passa aumenta o risco iminente de acontecer alguma tragédia no local.

No ano passado, o Jornal A Comarca trouxe uma reportagem sobre a queda de árvores às margens do ribeirão, mais precisamente nas imediações do pontilhão que passa pela Avenida Gilberto Filgueiras, na confluência com a Avenida dos Flamboyant. As fortes chuvas que caíram no mês de dezembro de 2017, provocaram a queda de vários pinheiros que estavam plantados às margens do ribeirão e o problema persistiu por meses, até que o jornal reportou o ocorrido em uma edição do mês de julho.

Naquela oportunidade, os moradores alertaram para as árvores que haviam caído e que poderiam provocar inundações, como já ocorreu quando estavam sendo executadas as obras de duplicação da SP-255. As águas do ribeirão, segundo os moradores, transbordaram a ponto de atingir as residências e o problema só se amenizou depois que a empreiteira retirou entulhos e desobstruiu o córrego.

MAIS ÁRVORES CAÍDAS –  Na última semana, passados sete meses da matéria veiculada, a reportagem da Comarca esteve no local e conversou mais uma vez com moradores. Segundo consta, os pinheiros que haviam caído no ano passado teriam rodado e ninguém da prefeitura foi visto pelo local. O barranco às margens do Lageado ficou ainda mais perigoso e agora até mesmo trincas no asfalto já são notadas. Pelo menos duas grandes árvores caíram com as chuvas dos últimos dias, e um poste de energia elétrica também corre o risco de cair se houver mais desmoronamento. 

Segundo observado pela reportagem, a Avenida dos Flamboyant, justamente na quadra que margeia o ribeirão, é utilizada como estacionamento de veículos de frequentadores de uma academia que fica na Avenida Gilberto Filgueiras. Os carros ficam parados justamente sobre as trincas no asfalto, e não há nenhum tipo de sinalização no local alertando para o perigo.

Fonte: Jornal A Comarca

Compartilhar:
adalgisa e toninho
Pilates
mensagem leo diego e carla
Veja Também