Conselho Consultivo da Estação Ecológica de Avaré promove reunião ordinária

Conselho Consultivo da Estação Ecológica de Avaré promove reunião ordinária

legenda: A foto mostra a posse da atual diretoria, que será substituída em nova eleição marcada para este mês

Fonte da Foto: Divulgação

Na tarde do dia 12 de novembro de 2019, na Sala Verde Sabiá, localizada na área de uso público do Horto Florestal, foi realizada a Reunião Ordinária do Conselho Consultivo da Estação Ecológica de Avaré, o antigo Horto Florestal de Andrade e Silva. Estiveram presentes conselheiros, integrantes da sociedade civil, representantes que integram a zona de amortecimento e representantes da área científica.

A reunião foi a última do Conselho constituído para o biênio 2017-2019, tendo como foco principal uma apresentação envolvendo a retrospectiva do processo de formação do órgão, bem como a elaboração do Plano de Manejo e as ações desenvolvidas pelo Conselho e a Equipe do Instituto Florestal durante esse período.

O momento foi propício para maiores esclarecimentos sobre as atribuições dos participantes, que puderam explanar sobre suas atuações na região e na unidade, bem como vislumbrar a possibilidade de ações direcionadas à comunidade de entorno e à sociedade civil.

Palestras sobre meliponicultura (abelhas sem ferrão) direcionadas aos produtores e moradores de entorno, bem como a proposta de pesquisa das espécies do gênero presentes na unidade; apresentação de um artigo resultante de pesquisa sobre a relação das ferrovias/estações e algumas unidades do Instituto Florestal, mais especificamente a de Andrade e Silva, atual Estação Ecológica de Avaré, bem como uma visita técnica a um entreposto de grãos de uma cooperativa localizado na zona de amortecimento da unidade, foram tratativas extraídas no decorrer da reunião.

A gestão de uma unidade de conservação não se limita somente aos aspectos compreendidos dentro de seus limites físicos, mas a tudo e todos que integram a zona de amortecimento, que é uma área estabelecida ao redor de uma unidade de conservação com o objetivo de filtrar os impactos negativos das atividades que ocorrem fora dela, como: ruídos, poluição, espécies invasoras e avanço da ocupação humana, explicou o Presidente do Conselho, Pesquisador do Instituto Florestal, Dr. Edgar Fernando de Luca.

Para Paulo Henrique dos Santos, Técnico de Apoio à Pesquisa do Instituto Florestal, a participação da comunidade de entorno e a da sociedade civil tornam reuniões como essa um espaço de participação democrática na gestão dos recursos naturais, despertando o sentimento de pertencimento da mesma a cada um dos cidadãos que acabam, mesmo que indiretamente, se beneficiando dos serviços ambientais oferecidos por essa importante unidade de conservação do nosso município.

A constituição do novo Conselho Consultivo para o Biênio 2019-2021 está prevista ainda para o mês de novembro e a participação da sociedade civil, além dos órgãos públicos, é permitida e extremamente importante.Maiores informações pelo fone: 14 3732 0290.

Compartilhar:
cadijaleo
ronamesmo
Veja Também