Sindicato prepara ofensivas contra gestão de Jô Silvestre

Sindicato prepara ofensivas contra gestão de Jô Silvestre

legenda: Entidade classista posiciona-se contra a terceirização da coleta de lixo

Fonte da Foto: Montagem O Victoriano

O Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais de Avaré e Região está preparando duas ofensivas contra a gestão do prefeito Jô Silvestre. A primeira refere-se a pretensão da atual gestão em terceirizar o serviço de coleta de lixo na cidade. A segunda, trata-se de uma denuncia contra o coordenador de saúde bucal do atual governo.

Em relação a primeira, o Sindicato está convocando todos os coletores e motoristas da Prefeitura local para, na noite da próxima segunda-feira, 19, participarem da reunião ordinária da Câmara Municipal. Segundo a direção da entidade classista, a iniciativa é uma forma de conscientizar os vereadores quanto aos problemas que a terceirização dos serviços de coleta de lixo, anunciada pela atual gestão pública, pode gerar. 

“Segundo o edital de licitação, a empresa vencedora trabalhará com seis caminhões e em cada um deles, um motorista e três coletores. Isso é inadmissível, pois normalmente são necessários quatro coletores para manutenção dos serviços. Já estamos entrando com contato com o sindicato da categoria para que as medidas cabíveis sejam tomadas”, destacou o sindicalista Leonardo do Espírito Santo, presidente do Sindicato, lembrando apenas um dos problemas envolvidos na questão. Além da quantidade de trabalhadores, também gera preocupação na direção do sindicato avareense a necessidade da Prefeitura, se terceirizar os serviços, de dotação orçamentária específica, algo que gerará impacto na folha de pagamento e, assim, impedirá a necessária queda do limite prudencial. Vale lembrar que este último fator citado é a principal alegação da Prefeitura para não dar reajuste aos trabalhadores municipais desde 2017.

A reunião dos servidores deve acontecer durante a reunião ordinária da Câmara na próxima segunda-feira, 19, a partir das 19 horas, na sede do Legislativo Avareense.


Saúde Bucal

O Sindicato também pretende fazer uma denuncia contra o coordenador de saúde bucal do município, Fernando Borges, que estaria exercendo função em duplicidade, além de perseguindo outros dentistas da Rede Municipal

O Sindicato estará, nos próximos dias, entrando com nova representação, no Ministério Público, em defesa dos interesses de seus afiliados. Desta vez, o apontado para apuração é o coordenador da Saúde Bucal de Avaré, Fernando Borges. Ele estaria, segundo informações coletadas pela entidade sindical, se valendo de suas funções para retaliar outros profissionais e exercendo função em duplicidade, conforme análises nos horários de trabalho do mesmo em Avaré e Arandu, cidade em que ele também trabalha pela Prefeitura. 

Segundo alegações de vários profissionais, Fernando estaria em discordância com suas funções a partir do momento em que assumiu a Coordenação da Saúde Bucal de Avaré: para realizar os serviços pertinentes a este cargo, o profissional deve, necessariamente, fazer 40 horas semanais (ou oito horas diárias) no posto, o que o impediria de dar assistência à cidade vizinha. No entanto, conforme levantado, ele exerce a profissão em Arandu às terças e quintas, das 08 às 13 horas. Com isso, sobraria ao profissional apenas as segundas, quartas e sextas para o expediente em Avaré. “Se tenho que trabalhar oito horas diárias, qual horário faço durante as terças e quintas, visto a necessidade de cobrir o horário anteriormente determinado e durante o qual, supostamente, estou vistoriando os serviços dos demais dentistas da Rede Municipal? Além disso, de qual horário me utilizo para atender meus clientes particulares? Só queremos saber como ele consegue se desdobrar em três para dar conta de tantos compromissos assim”, disse Leonardo do Espírito Santo, presidente do sindicato avareense.
 
O sindicalista também afirmou a inclusão, na denúncia, de perseguições praticadas pelo coordenador contra vários dos dentistas da rede municipal. “Não há critérios para mudança de horários ou de local de atendimento; na verdade, ele faz o que lhe dá na telha e quando confrontado, alega estar seguindo ordens diretas do secretário de Saúde, Roslindo Machado”, destacou o sindicalista. As denúncias incluem, além das mudanças constantes de horários, anulação de férias e transferências de profissionais sem a devida justificativa ou aviso antecipado. 

O problema reflete diretamente no atendimento, pois não são respeitados os interesses da população necessitada dos serviços odontológicos oferecidos. A denúncia contra o coordenador avareense deve chegar às mãos do Ministério Público nos próximos dias.

Compartilhar:
Guardião
Veja Também