Projeto Campo Seguro mapeia área rural de Avaré

Projeto Campo Seguro mapeia área rural de Avaré

legenda: O índice de roubos e furtos diminuiu desde o ano passado

Fonte da Foto: Reprodução TV Tem/Itapetininga

Visando diminuir o índice de roubos e furtos na Zona Rural de Avaré (SP), foi desenvolvido o projeto “Campo Seguro”, que mapeia as propriedades para facilitar o trabalho da Polícia Militar.

Agentes da prefeitura cadastram os endereços e, em caso de ocorrência, assim que a PM for acionada, basta colocar o número no GPS para chegar ao local. A expectativa é cadastrar 900 propriedades do município até o início de setembro.

Até agora, 500 já estão na base de dados. Ronaldo Vilas Boas, secretário da Agricultura, explica que o cadastramento feito pela prefeitura é compartilhado com a polícia. “Nosso objetivo é atingir todas as propriedades”, afirma.

Segundo o capitão da Polícia Militar Pablo Souza, além do campo seguro, o efetivo na área rural também aumentou com a patrulha. “Os agentes estão fazendo contato com as propriedades não cadastradas para pegar as informações necessárias e assim serem inseridas no sistema”, diz.

Rafael Gonçalves, gerente de uma fazenda em Avaré, tem sua propriedade cadastrada e chamou a polícia há poucos dias por conta de atitudes suspeitas de algumas pessoas no local.

O índice de roubos e furtos diminuiu desde o ano passado. Em 2017, foram registrados 66 roubos e 397 furtos. Entre eles, o roubo de 11 tratores em Itaí, Paranapanema, Taquarituba e Coronel Macedo, no mês de maio. Desde o início deste ano, a polícia registrou 54 roubos e 308 furtos no mesmo período.

Antes do projeto “Campo Seguro”, os moradores da área rural não sentiam-se tranquilos em relação a segurança na região, como afirma o pecuarista Leandro de Oliveira Fogaça.

"Nas propriedades que ficam perto da cidade sempre tem um roubo, eles abatem o animal e levam a carne, já aconteceu várias vezes. Semana passada teve mais um roubo, não dá pra controlar, sempre está passando a patrulha rural, mas infelizmente não tem como saber o dia certo que eles vêm”, diz.

Fonte: G1 Itapetininga e Região

Cursinho Einsten
Veja Também