Avaré poderá ser cidade irmã de Aparecida

Avaré poderá ser cidade irmã de Aparecida

legenda: Em reunião, Contur aprovou a participação avareense nas comemorações dos 300 anos de aparição da Padroeira do Brasil

Fonte da Foto: Internet

O Conselho Municipal de Turismo de Avaré (Contur) se reuniu na noite dessa quinta-feira, 21, em reunião ordinária realizada no Centro Cultural Esther Pires Novaes, para deliberar sobre quatro assuntos de interesse turístico: a elaboração do Plano Diretor de Turismo do município; a participação de Avaré no circuito Polo Cuesta; o Regimento Interno do Contur; e a licitação para ocupação e exploração comercial do restaurante do Camping.

A reunião contou com a participação do secretário municipal de Turismo de Avaré, Geraldo Pereira de Barros Neto, que explanou aos demais conselheiros presentes sobre os principais assuntos da pauta logo na sequência da abertura feita pelo presidente Reinaldo Caçapa.

CIDADE IRMÃ

Embora não fizesse parte da pauta, o secretario Gê Barros explicou aos conselheiros sobre a possibilidade de Avaré ser “cidade irmã” de Aparecida nas comemorações dos 300 anos da aparição da Padroeira do Brasil, agora em 2017. Para tanto, uma verba a fundo perdido destinada ao turismo avareense poderá ser investida na divulgação do nome de Avaré durante as comemorações do Jubileu.

“A estimativa é de que 20 milhões de pessoas passem pelo Santuário de Aparecida durante as comemorações dos 300 anos da aparição, com inúmeros shows de renome e atrações ao longo do mês de outubro, e com R$ 50 mil de investimento o nome de Avaré estará sendo propagado como cidade irmã participante na festa do Jubileu”, enfatizou o secretário Gê Barros.

O assunto foi colocado em votação e a maioria dos conselheiros optou favoravelmente à participação de Avaré na festa dos 300 anos de Aparecida. A proposta agora será encaminhada à organização dos festejos.

PLANO DIRETOR

O primeiro assunto da reunião do Contur foi a elaboração do Plano Diretor de Turismo de Avaré, que depois de pronto e aprovado norteará os rumos do setor turístico da cidade. O secretário explanou sobre duas possibilidades de elaboração do plano: a contratação de uma empresa especializada no assunto que apresentaria um plano pronto, ou a contratação de especialistas para auxiliarem na elaboração de um plano participativo.

Gê Barros mostrou-se favorável a contratação de técnicos para capacitação dos próprios conselheiros na elaboração do Plano Diretor participativo, através de profissionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A questão foi colocada em votação e a maioria dos presentes opinou pela elaboração de um plano participativo, contando com auxílio de cursos de capacitação aos conselheiros e demais participantes de uma futura comissão de elaboração.

POLO CUESTA

O segundo assunto da reunião esteve relacionado com a participação de Avaré no circuito turístico do Polo Cuesta, ou seja, a cidade continuará integrando esse consórcio sem fins lucrativos que tem como objetivo desenvolver o turismo de forma regional e sustentável através da integração e trabalho em conjunto dos municípios.

Entretanto, Gê Barros mencionou a possível criação de um consórcio de municípios banhados pela Represa Jurumirim, como forma de alavancar o maior potencial turístico de cerca de 15 cidades da região que exploram as águas da represa.

REGIMENTO INTERNO

Eventuais mudanças no Regimento Interno do Contur também fizeram parte da reunião, assunto que também foi bastante discutido pelos conselheiros nos últimos dias. Como forma democrática de se resolver a questão, optou-se pela formação de uma comissão entre os conselheiros para estudos do atual Regimento Interno e propostas de alteração, tanto do regimento como da lei que o criou.

RESTAURANTE DO CAMPING

E finalmente a questão do processo licitatório para exploração do novo restaurante do Camping Municipal foi o último assunto discutido pelos conselheiros. Ao longo dos últimos meses, desde que as obras do novo prédio foram concluídas, ninguém se interessou em participar das concorrências abertas pela prefeitura e isso tem preocupado a atual gestão, já que a ação do tempo e o vandalismo tem consumido o local.

Mais uma vez a democracia reinou na reunião, já que os conselheiros optaram pela formação de um grupo de estudos que deverá reformular o processo licitatório do novo restaurante de forma a atrair investidores, ou seja, a atual administração prefere beneficiar acima de tudo o empresário que assumir o restaurante, e não grandes lucros aos cofres públicos.

PRAÇA DA PAZ

Outro assunto que não constava da pauta da reunião do Contur, mas que foi adiantado pelo secretário Gê Barros, foi a urgência de reparos na Praça da Paz (Cristo Redentor), como troca de luminária, manutenção da estátua que apresenta rachaduras, reativação da cascata e a colocação de segurança no local que tem sido alvo de vandalismo nos últimos dias.

Essa questão não teve aval dos conselheiros, mas o secretário Gê Barros ficou de enviar planilhas com os gastos que porventura ocorrerão com as obras naquele local para que todos possam apreciar e discutir nas próximas reuniões do Contur.

Fotos Relacionadas

Veja Também